Papel Digital

22/12/2008

Like a Virgin, íh!

Filed under: Sem-categoria — julianamicasi @ 19:49
Tags: , ,

Ho Ho Ho, e Papai Noel trouxe… Um post novo!!! Rs

E Meio tumultuado, já que muitas coisas aconteceram. Começando por…

EU FUI AO SHOW DE MADONNA!!!!!!!!! (gritos) (Ainda não me recuperei da nóia que um troço desses dá. BOMDEMAISDAVIDA!)

Pois então, eu e mais dois amigos enfrentamos uma verdadeira odisséia para ver a tia no Maraca, e valeu à pena! Até o fato de ter voado (eu deteeeeeeeesto avião!) foi compensado. Três terços e muitos apelos “jesusmariajoséseguraesseaviãoenãomedeixamorrerqueeuaindatenhomuitoprafazer” depois, chegamos e voltamos sãos e salvos (obrigada, Deus).

*** RELATO DO SHOW. Se você não dá a mínima, pode pular. ***

Fomos de metrô. Já no caminho, conhecemos dois rapazes de Recife e, como bons nordestinos, viramos um grupo de cinco. Chegamos ao Maracanã umas 16h30, e nunca vi tanta gente junta. As filas estavam imeeeeeeeeeeeeeeeeensas e o cheiro de cocô de cavalo, xixi dos mendigos e maconha era quase insuportável. Quase, porque, mesmo sóbrios, estávamos naquela onda de excitação que esconde dor nos pés, cansaço, sede, fome e fedor. Só conseguimos entrar no estádio umas 18h00 e, gente… O QUE É AQUELE ESTÁDIO???? Entrar no Maracanã lotado foi uma emoção por si só. Ser jogador de futebol deve ser o máximo.

Voltaaando

Tinha um dj tocando, Paul Oakenfold. Meio fraquinho… Conseguimos ficar bem na frente e, para minha surpresa, não estava tão tumultuado. Muitos casais, gente com os filhos… tudo bem civilizado. Já enfrentei perrengues maiores para ver Ivete.

Momento CARAS: atrás de nós, estava a atriz Betty Gofman (http://especial.caminhodasindias.globo.com/diario-de-viagem/tag/betty-gofman/) com a filha e o marido.

Madonna entrou às 20h30. A chuva, que até então era uma garoinha, se transformou em pingos grossos de doer a cabeça, e assim permaneceu durante todo o show. Minha capinha de chuva comprada a R$ 5,00 perto do metrô da carioca foi totalmente útil!

A energia transmitida pelo público foi algo indescritível. Em alguns momentos, eu virava para admirar tanta gente junta numa vibração tão boa. É uma coisa muito doida.

Madonna estava mais simpática que de costume e, pessoalmente (vixiii, que mitxiiida) é muito bonita. Você não acredita que um corpo daqueles existe de verdade, que não é photoshop.

Gritei muito, pulei muito, fiquei emocionada. Foi demais, que bom que eu fui!!!!!

Quando tudo terminou, eu, meus amigos velhos e meus amigos novos nos enrolamos com a bandeira do Brasil e ficamos cantando Holiday feito uns loucos… NÃO TEVE PREÇO!

Não saída, EU VIIIIIIIIIIII DIDU DA NOVEEEEEEELAAAA AAAAA FAVORITAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Como vocês sabem, eu ADORO essa novela. Um dos meus propósitos no Rio, aliás, era ver Donatela, mas não deu. Fiquei realizada com Didu (Fabrício Boliveira) da mesma forma, até porque ele é totalmente gato.

MOMENTO DIÁRIO:

Meu diálogo com Didu:

– (batendo no ombro dele, que estava bem à minha frente): Oi, tudo bem? Eu sou da Paraíba e a gente ADORA a favorita!!
– (rindo para disfarçar o pensamente de ‘quem é essa mulher doida’) Ah, muito obrigado!
– (tropeçando e quase caindo na emenda dos tablados) Sim, e parabéns, você está fazendo seu papel de forma perfeita! Tá muito bom mesmo!
– Pô, brigado!
– Ahhh, e fala pra Cláudia Raia matar Flora!
– Matar é pouco… Ela tem que sofrer!
– Iiiiiissooooo!!!! TEM MESMO!!
– Obrigado e bom retorno pra Paraíba!

Foi péssimo, eu sei. Mas eu precisava falar para alguém como eu detesto Flora! E, não, não podia ser para as paredes da minha casa. Rs

O retorno de metrô foi… interessante. Visualizem 70 mil pessoal tentando entrar numa estação. É, foi isso mesmo. Para entrar no vagão, fui praticamente carregada, me levantaram no bolo e eu caí dentro do carro… E eu não sou uma pessoa pequena!!!! Nessa hora, deu um medinho.

Depois de tudo, só mesmo banho e cama. Realizei um sonho!!!!

*** FIM DO RELATO DO SHOW ***

Gente, continuo depois, mas já adianto que CONHECI ENGRAÇADINHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA (nem acreditooo) e mais a Lelê e a Dani Antunes, do Mulheres, que eu nem esperava! Bom demais!!!! E, também nos próximos capítulos, a queda que eu levei, os meninos do Rio e a Colombo… ai aiii E, já em João Pessoa: brigas de trânsito e comida estragada.

Beijooooos e Jingle Bells!!!

PS. Tive a capacidade de achar, no show, entre nosso grupo e os globais, um carinha (gato, por sinal) fã de Joelma do Calypso. EU MEREÇOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!

Anúncios

05/12/2008

A Favorita – bater em mulher pode? Para a Globo, sim.

Filed under: Sem-categoria — julianamicasi @ 12:43

Espanando as teias de aranha por um bom motivo…

Nunca tinha visto uma novela tão boa quanto A FAVORITA. Sem a menor vergonha (e sob as críticas dos intelectualóides de plantão) me empolgo de verdade com as tramas, torço por um fim cruel para Flora (aquela mulher é a esposa de Satã, só pode) detesto o corte de cabelo de Zé Bob. Ontem, porém, uma cena me incomodou tanto que não consegui ver o final do capítulo: o prefeito Elias (Leonardo Medeiros) estapeou a mulher (Helena Ranaldi), expulsou-a de casa pelos cabelos e atirou-a na rua (ela ralou os joelhos, e a equipe fez questão de focar nas pedras da rua manchadas de sangue).

Fiquei esperando um apedrejamento, como o que ocorreu na vida real há menos de duas semanas, lá no Oriente Médio.

Pior ainda que a agressão foi a forma como a cena foi conduzida e editada, deixando transparecer que o prefeito estava certo em tomar aquela atitude. (ele foi traído duas vezes pela mulher).

O ponto é que a Rede Globo exerce uma enorme influência na sociedade brasileira (à custa de jogadas inacreditáveis de marketing). As pessoas copiam comportamentos, roupas, cortes de cabelo, músicas. Assim, uma apologia à violência como a que foi mostrada é uma questão muito, muito séria, e merecia uma retratação. Ou corremos o risco do machão traidinho ter a certeza de que sua mulher merece uma surra. Ou um tiro.

Vale lembrar que qualquer tipo de agressão é CRIME. Traição não. Dói, é desrespeitoso, mas não é crime. E o traído, seja homem ou mulher, NÃO tem o direito de de se vingar agredindo o parceito. É CRIME, É CRIME.

Mas a idéia do homem diminar a mulher pela força já está tão enraizada na nossa sociedade que, com certeza, muito gente achou a cena de ontem ótima, até divertida. Na Paraíba, a violência contra a mulher aumentou 72% entre 2005 e 2007. Isso não tem a menor graça.

No endereço abaixo, quem quiser pode ler mais sobre violência contra a mulher, com reportagens, pesquisas e até sugestões de pautas para jornalistas:

http://copodeleite.rits.org.br/apc-aa-patriciagalvao/home/dadospesquisas.shtml

Quanto a novela, gostaria muito que o agressor fosse enquadrado na Lei Maria da Penha. Mesmo assim, o programa, para mim, perdeu um pouco do seu brilho.

Beijos!

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.